• Sinpol

PC-AM prende homem que se passava por dono de construtora e aplicou golpes em mais de 40 pessoas



A Polícia Civil do Amazonas, representada pela Equipe Tucandeira do 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP), tendo como delegado titular Bruno Fraga, falou, na tarde desta quinta-feira (25/04), durante coletiva de imprensa realizada às 14h30, no prédio da unidade policial, sobre o cumprimento de mandado de prisão em nome de Márcio José dos Santos Fontenelle, 43, por estelionato, investigado por se passar por dono de uma construtora e aplicar golpes de vendas de casa, na zona norte. Segundo o delegado, mais de 40 pessoas foram vítimas do infrator.


Prisão - Márcio José foi preso na manhã de quarta-feira (24/04), por volta das 8h30, na rua 20 de Janeiro, bairro Lírio do Vale, zona oeste da capital, pelos investigadores da equipe Tucandeira. O titular do 26º DIP destacou que a ação teve apoio da 2ª Seccional Norte, dos DIPs da zona norte, dos policiais civis do 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), além de servidores do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).


“A prisão do indivíduo foi realizada na casa de um amigo dele, que não tinha conhecimento dos golpes aplicados. Na ocasião, o infrator não esboçou reação. Em depoimento na delegacia, Márcio confessou ter lesado mais de quarenta pessoas e entregou a documentação das futuras vítimas do golpe”, pontuou o delegado.


O mandado de prisão preventiva por estelionato em nome de Márcio foi expedido no dia 21 de março deste ano, pela juíza Andréa Jane Silva de Medeiros, da 5ª Vara Criminal.


Golpe – De acordo com a autoridade policial, a investigação em torno do caso durou quatro messes. As diligências iniciaram após nove vítimas procurarem o 26° DIP, para formalizar a denúncia. As vítimas informaram que Márcio oferecia a venda de casas, situadas em um conjunto habitacional, na avenida das Flores, bairro Lago Azul, zona norte. As vítimas relataram, ainda, que em outubro de 2018, cada uma pagou a quantia de R$ 3 mil, que seria referente a entrada do valor do imóvel.


O restante do pagamento seria feito em dez anos, com prestações que variavam entre R$ 70 a R$ 100. Fraga explicou que após às vítimas efetuarem os pagamentos, Márcio José dizia que, em razão do tempo chuvoso, as obras das casas estavam atrasadas e em seguida trocava de número de telefone.


Indiciamento: Márcio José foi indiciado por estelionato. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio do 26º DIP, ele será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).


FOTOS: Alailson Santos / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.



© 2020 - SINPOL-AM. CSPQ Tecnologia.